08/01/2010

CARTILHA DO " BOM " COMPORTAMENTO ???


Amigo Torcedor...


Sabemos que todo clube que se preze, tem sua "cartilha " de regra de comportamento dos atletas que são entregues aos novos companheiros que farão parte do grupo, assim que chegam a esses determinados clubes.

Pois bem...

Hoje, quero entrar num assunto que ha muito tempo vem sendo discutido e que geralmente levanta uma certa polêmica, principalmente num clube grande, de uma cidade que é uma das maiores do mundo, onde determinadas coisas são " acobertadas " e preconceitos acontecem com determinadas pessoas, sem que essas mesmas pessoas possam se defender com dignidade.

Estou me referindo ao São Paulo Futebol Clube e a um jogador que é marcado e perseguido por várias pessoas dentro e fora da agremiação, e que veste com muita garra e amor a camisa do tricolor do Morumbi. ( Não estou me referindo a jogadores e diretoria não )

Richarlyson é um exemplo de jogador que todo torcedor gostaria de ter em seu time do coração, mas... é massacrado pelo próprio torcedor do clube que o ignora antes mesmo de começar qualquer partida, seja ela dentro ou fora do Morumbi, pulando seu nome quando da saudação dos atletas escalados um a um.

O preconceito chega as raias do absurdo até mesmo na participação de venda de camisas dos jogadores, onde o número 20 que é utilizado pelo atleta, pouca saída tem e o Marketing do clube não faz absolutamente nada para que se mude tal situação.

Agora nas férias de dezembro, o jogador quis e mudou seu visual, causando um enorme impacto devido à sua longa cabeleira ( fez um aplique ) e o assunto Richarlyson caiu no colo da diretoria tricolor que se manifestou dizendo que tal situação seria resolvida assim que o grupo retomasse os trabalhos no início de temporada, que aconteceu no meio dessa semana.

Aí entrou a tal " Cartilha " de bom comportamento, que serve somente para determinadas pessoas e não serve para muitos que por lá passaram e vocês sabem muito bem de quem estou falando.

Brincos, cabelos pintados, roupas da moda, carrões importados, namoradas e mulheres ostentando luxo e beleza acompanham o dia a dia dos jogadores de futebol assim que ele assina o primeiro contrato como profissional.
Resta saber como esse atleta irá se portar diante de tanto assédio e se ele terá estrutura para suportar isso tudo.

Aí eu pergunto : Pode cabelo pintado ???
Pode carrões importados ???
Pode brinquinhos ???
Pode tatuagens ???
Pode roupinhas da moda ???

Se pode tudo isso, porque então não pode cabelo comprido como ao que Richarlyson gostaria de ter e foi obrigado a se desfazer voltando das férias ???

Outra pergunta que gostaria que a diretoria me respondesse aplicando tal "cartilha "
No caso de uma possível contratação de Ronaldinho Gaúcho, mandariam ele cortar sua vasta cabeleira ???
O Anderson, aquele mesmo que jogou pelo Grêmio, também sofreria o mesmo processo ???

Se é para cumprir tais "determinações " de boa conduta e comportamento eu concordo, mas esse tipo de coisa pra mim é puro preconceito.

Tanto isso é verdade que Marcelinho Paraíba compareceu em entrevista coletiva com seus poucos cabelos é verdade, porém tingidos de amarelo e não sofreu qualquer represália por parte de ninguém tanto da diretoria, imprensa e torcedor.

Mas... Richarlyson está " marcado " e isso é fato, e o que ele fizer... vira notícia já que é um alvo fácil para tudo e para todos.

Em pleno ano de 2010, ainda nos deparamos com determinadas pessoas preconceituosas e o preconceito muitas vezes tem início dentro da nossa própria casa.

Não é mesmo senhores do SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE ???

Parem para pensar bem nisso também os torcedores que hostilizam um atleta que muito respeito nutre por todos vocês e como ninguém dá a volta por cima ignorando um a um dos que o ofendem à cada partida.


Um grande abraço e até a próxima.

5 comentários:

Jú (Diaba) disse...

O Rick é um dos jogadores mais competentes do time! Acho COMPLETAMENTE ridiculo o jeito que alguns "torcedores" tratam o garoto.

Rodrigo Ramos disse...

Se o jogador rende dentro de campo, a torcida precisa apoiar.

Mauro Trevisan disse...

Marcello, concordo com o texto. Conheci o Richarlyson em 2005, quando ele foi contrato pelo São Paulo. Ele sempre foi muito simpático e educado comigo todas as vezes e me parece ser um cara muito correto. Como atleta, é guerreiro e dedicado. No papel de torcedor ferrenho, fico maluco quando ele erra por omissão e não admite o erro, quando acha que joga mais do que joga e os lançamentos errados, viradas de jogo bizarras, etc. Fico indignado com os cartões idiotas e com as discussões, mas isso serve para qualquer atleta e não só para ele. Mas nada disso serve de motivo para o papel ridículo feito por parte da torcida. Jogador polivalente e sempre bem disposto, sem criar problemas no grupo. Quanto à questão do cabelo, a pergunta é: o Carlinhos Paraíba, usa um rabo-de-cavalo. E aí? Alguém da diretoria ou algum torcedor falou algo a respeito?
Chega de babaquice! O cara tendo respeito e dedicação com a instituição que defende (e não falo só no futebol!), se não estiver envolvido em escândalos monstruosos na sua vida pessoal (que não diz respeito a ninguém!), tem direito de fazer o que bem entende.

Renan disse...

Richarlyson é um cara muito gente boa. Competentíssimo como disse a Jú. O tratamento dado a ele, tanto pela diretoria, quando por alguns "torcedores" é naceitável.
Se o cara não rende dentro de campo, aí sim vamos lá do estilo de jogo dele.
Se o cara faz a dele dentro de campo, que se dane o cabelo dele, se usa brinco, se usa pulseira, o que importa é o que o cara faz dentro das 4 linhas.

Natalia disse...

Renan disse tudo. O que ele faz com o cabelo ou a opção sexual dele não me incomoda em nada, contanto que ele jogue bem no campo.